sexta-feira, 27 de novembro de 2009


Alegria

Euforia

Certeza...

Choque

Raiva

Revolta

Decepção

Frustração por ter que ficar parada assistindo tudo acontecer, sem poder fazer nada.

Estar quase lá, e ser lançada pra fora...

Tristeza

Juras de vingança

Inércia

Lembranças

E se...

E se...

E eu continuo aqui.






Satine

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Sempre


Só enquanto eu respirar,
Vou me lembrar de você.
Só enquanto eu respirar...





Satine

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Errante


Ah, se você pudesse me ver agora...
Se pudesse ver em quem me transformei.
Se pudesse ver que me transformei em você.
Agindo da forma que você sempre agiu. Dizendo as coisas que você me dizia, e eu detestava...
Ah, se você pudesse ver que dentro de mim existe muito de você.
Muito mais do que eu gostaria.
E se você soubesse o quanto já tentei te expulsar, te exorcizar...
Mas simplesmente você acaba sendo mais forte do que eu.
Ou então sou eu mesma lutando para não te deixar ir embora.
Ah, se você pudesse ver como hoje nada mais tem grande importância.
Se pudesse notar como perdi a habilidade de gostar de alguém de verdade.
Parece que depois de você essa parte de mim morreu, ou atrofiou...
Como se fosse um músculo que já não consigo mais usar.
Talvez esse músculo se chame coração.
Errante, burro, cego coração...
Que insiste em bater mais rápido a cada vez que penso em você.
Ah, se você pudesse me ver agora...
Quem dera você pudesse sentir.





Satine

domingo, 6 de setembro de 2009

Insatisfação...


Sempre tem uma razão.
Sempre existe um motivo para essa minha insatisfação crônica...
Ou então, pode ser que eu mesma invente um motivo, só pra constar.
Eu sempre encontro um motivo pra brigar.
Um motivo pra não gostar.
Um motivo pra beber demais, acordar péssima e envergonhada de tudo que fiz e disse.
Mas que se danem as aparências, não é?
Como posso ser tão decadente em certos momentos?!
Preciso me reciclar.
Preciso de férias, de tempo. Preciso respirar...
Não dá pra viver sem um respiro regulamentar.
Às vezes, a melhor coisa é ficar sozinha por um tempo.
Se esconder debaixo das cobertas.
Sempre que faço isso, não dura mais de um dia. É sempre assim.
Quando consigo o que quero, acabo enjoando e percebendo que não preciso mais daquilo.
E isso é uma tortura.
Será que um dia consigo mudar?
Sair desse padrão?
Sinta-se a vontade para me julgar, porque a minha verdade apenas eu conheço.








Satine

domingo, 9 de agosto de 2009

Cotidiano


Ah, às vezes é preciso muito mais do que segurança.
Às vezes é preciso medo e tentação.
É preciso sangrar, brigar, bater e apanhar...
Ir até o limite.
Se atirar do precipicio.
É preciso tomar um porre e levar um tapa na cara.
Correr o mais rápido que se pode.
Sonhar alto e cair de cara no chão.
Chorar e gargalhar histericamente.
É preciso sentir o frio que faz a pele doer.
O calor que marca, e faz até os ossos queimarem.
É preciso frio na espinha e vergonha exposta.
Dizer o que se quer sem medo da resposta.
Acelerar de encontro ao muro, dar perda total.
É preciso sair de órbita e se entorpecer.
Algumas vezes é preciso se perder.
É preciso tudo isso para se sentir vivo.
Para sair dessa inércia de vidinha pacata e sem gosto.
Às vezes é preciso exagerar na dose e ultrapassar barreiras.
É preciso ir a extremos, apenas para poder voltar a vidinha doce e rotineira .
Até começar tudo outra vez...







Satine

sábado, 8 de agosto de 2009

Fim.


Se você me perguntasse agora, eu diria que não.
Se você me olhasse agora, eu olharia para o outro lado.
Se você viesse até mim agora, eu correria em outra direção.
Eu te evitaria, e repetiria que não!
Eu mudaria de casa, de nome, me transformaria em outra pessoa.
Faria qualquer coisa pra não precisar te conhecer.
Tudo isso porque depois de te conhecer nada mais foi o mesmo.
E sem você tudo perdeu o valor.
Antes de você eu tinha paixão pela vida e por tudo o que ela podia me trazer.
Eu amava as pessoas que eu ainda ia conhecer.
Agora tudo que eu amei já não é mais tão interessante.
Todas as minhas paixões deixaram de ser tão brilhantes.
Depois de você nada mais foi igual, pelo simples fato de que tudo é você.
E se eu não te tenho mais comigo, como posso ver brilho e cor no que sobrou?
Porque tudo que eu tenho hoje são apenas sobras.
Restos, cacos e retalhos de quem um dia eu fui.
Da vida que um dia eu tive.
Do amor que eu ainda tenho, e com o qual terei de aprender a conviver...






Para minha grande amiga Nanda.
Nanda, não se esqueça que nós estaremos sempre aqui pra te ajudar a juntar todos os caquinhos...







Satine

domingo, 2 de agosto de 2009

Dois Lados


Por que, em certos momentos, insistimos em não ver a realidade?
Por que nos forçamos a fingir que está tudo bem, e que estamos felizes?
Se na verdade não estamos felizes, e não está tudo bem.
Eu sempre disse que jamais faria isso, e hoje me vejo fazendo exatamente o que sempre condenei.
Por que não jogar tudo pro alto?
Eu sempre fui alguém que gosta de extremos, e hoje me vejo totalmente no meio termo.
Será que me tornei uma covarde?
Será que isso é algum tipo de auto-sabotagem?
Ou será que estou apenas confortável? E apesar de não estar satisfeita, estou tão acostumada que já não consigo fazer nada para mudar?
Me sinto tão cansada. Parece que todos os dias são iguais...
Isso sem falar no destino, que é extremamente sarcástico. Tudo que eu sou hoje, é tudo que me fazia mal antes. Todas as coisas que eu odiava ouvir, são as coisas que me ouço dizendo hoje.
E claro, também hoje percebo que muitas coisas que fiz e disse a certas pessoas foram cruéis e ridículas.
Você só sabe o quanto uma situação é difícil quando você passa por ela.
E eu sinto muito por todas as vezes em que fui uma idiota com quem não merecia.
Eu digo isso a mim mesma todos os dias, na esperança de que o reconhecimento de tudo de errado faça com que esse carma termine. Porque eu já não aguento mais.
Eu sei que tudo isso deve estar confuso e sem o menor sentido, mas as pessoas certas entenderão.
Enfim, se existe algo bom em todas as situações que passei até agora, deve ser o fato de que finalmente vejo as coisas por um outro ângulo, e com certeza, não repetirei os mesmos erros no futuro.




Satine

sexta-feira, 10 de julho de 2009

A day like today...


No matter how strong
I'm gonna take you down with one little stone.
I'm gonna break you down and see what you're worth.
What you're really worth to me.
Dinner at eight was okay.
Before the toast full of gleams.
It was great until those old magazines.
Got us started up again.
Actually it was probably me again.
Why is it so
That I've always been the one who must go.
That I've always been the one told to flee.
When it fact you were the one, long ago.
Actually in the drifting white snow
You left me.
So put up your fists and I'll put up mine.
No running away from the scene of the crime.
God's choosen a place
Somewhere near the end of the world.
Somewhere near the end of our lives.
But 'til then no, Daddy, don't be surprised,
If I wanna see the tears in your eyes.
Then I know it had to be, long ago.
Actually in the drifting white snow
You loved me.
No matter how strong
I'm gonna take you down with one little stone.
I'm gonna break you down and see what you're worth.
What you're really worth to me.






Perfect song, for a day like today...







Satine

domingo, 5 de julho de 2009

Parei de pensar e comecei a sentir...


O que dizer quando as palavras já não são suficientes?
E quem disse que é preciso dizer alguma coisa?
Não é preciso dizer nada, quando olho pra você e percebo que você me vê de verdade.
Também não é preciso dizer nada, quando fecho os olhos e deixo você me levar.
Existem momentos que não precisam ser traduzidos em palavras.
E mesmo que quiséssemos, seria impossível traduzi-los.
As palavras soam pequenas e vazias, perto de tudo o que se pode sentir.
Sentir é a palavra de ordem.
Se esquecer de tudo e se deixar conduzir.
Ter o controle, perder o controle e não se importar com isso.
Ultimamente é assim que gosto de viver.
Ultimamente é sobre você que gosto de pensar.
Então, começo a pensar demais, e fico paranóica.
Nesse momento me lembro que pensar e se preocupar não é o importante aqui.
Vamos deixar pra pensar daqui a pouco, sim?
Vamos nos deixar levar, ainda que só por alguns instantes, por tudo o que não é palpável.
Sensações novas, outras velhas conhecidas, vestidas de uma outra forma.
Sempre igual, mas sempre diferente.
Você foi algo único, inesperado, cheio de promessas, e expectativas que apareceu na minha vida e me levou pra um lugar novo.
Um lugar onde podemos fazer planos, podemos imaginar um futuro, e querer fazer com que ele realmente aconteça.
Você é esse turbilhão de sentimentos e devaneios que me faz feliz todos os dias.
E eu?
Eu espero ser tudo.
Tudo de melhor, tudo que te faça bem, tudo que te tire do chão e faça seu mundo tremer.
Pra quem disse que palavras não são importantes, eu acho que já falei demais, não é? rs
Mas eu quero acrescentar só mais uma coisa:
Eu amo você...










Satine

quinta-feira, 2 de julho de 2009

I was thinking about you...

E se eu disser que estava pensando em você?
Se eu disser que te amo de verdade.
Se eu disser que isso me dá um medo incompreensível.
Se eu disser que de uma forma inexplicável, você já faz parte da minha vida.
Se eu te disser que quero que você fique.
Se eu te disser que não vou te deixar ir.
Se eu disser que sou irracional, insegura, dependente.
Se eu disser que quero que todos os pequenos planos que fiz na minha imaginação virem realidade.
E se eu te disser que estou sempre sentindo sua falta?
Se eu te disser tudo isso, você me diz que não importa o que aconteça, vai estar ao meu lado?
Você me diz que me ama mais que tudo, e que entende essa minha insegurança quase infantil?
Você me abraça e diz que não vai a lugar nenhum?
Estou exagerando nas expectativas?
Satine

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Too many things...


There's a little black spot on the sun today...
It's the same old thing as yesterday.






Weird day...
Satine

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Our Free Fall


Sem limites, sem freio, sem se arrepender de nada.
Dona de si, mas dominada por esse sentimento, que parece ser muito maior e muito mais forte.
Correndo pra se atirar num precipício, se jogar de braços abertos e olhos fechados.
Sentindo o vento bater em seu rosto, os pensamentos passando em flash por sua mente conturbada.
Totalmente entregue, em queda livre para se salvar.
Sem pensar muito, mas sentindo tudo.
Contando os segundos, sem saber se vai dar de cara no chão, ou criar asas e voar.
É sempre assim. Sempre igual e sempre diferente.
Sempre se deixando tomar pelos impulsos. Só assim pra conseguir se sentir viva. Indo sempre de um extremo a outro, mas sempre tomando o cuidado de não ultrapassar aquela linha tênue, onde tudo termina.
Mas agora é diferente, o sentimento para o qual ela corre, não é destrutivo, muito pelo contrário, pode ser algo que vai fazer muito bem.
Vai lhe trazer um pouco de paz.
Foi por isso que ela esperou. E quando ela estava distraída, eis que esse sentimento chegou, do nada, e a arrebatou.
E ela?
Ela simplesmente se deixou levar por ele, pois ouviu seu sexto sentido sussurrando que ali estava algo que mudaria seus dias vazios.
E agora?
Agora é esperar e torcer, para que dessa vez, seja pra sempre.





To my great friend, Bia.
I hope you like...
And congratulations!!!







Satine

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Roads

Quando se deseja, já não se pode mais voltar atrás.
E no momento em que o desejo vira um pensamento se repetindo incessantemente, não tem mais jeito...
Quando se começa a imaginar, não há mais nada a fazer.
Existem sensações que sempre imperam, e acabam nos dominando.
Mas quem disse que isso é ruim?!
Se perder às vezes pode ser o melhor caminho para se encontrar.
Esse turbilhão insano, essa tempestade que chega devagarzinho e nos toma totalmente.
É disso que a vida é feita.
Ou ao menos deveria ser feita.
Desses pequenos momentos, incrivelmente não planejados, e absurdamente avassaladores é que a felicidade é feita.
Ou ao menos deveria ser feita.
E é disso que nós somos feitos.
Eu e você, em meio a esse tornado que chegou e nos varreu pra longe.
Para uma outra dimensão qualquer.
Nos perdemos por lá; nos encontramos para sempre.
É dessas coisas que as boas lembranças são feitas.
Ou ao menos deveriam ser feitas.
Quando já não se sabe quem é quem;
Quando o resto do mundo deixa de ter importância;
Quando tudo parece se encaixar e fazer sentido;
É quando se descobre que está vivo de verdade.
É preciso ir de 0 à 100 em um segundo;
É preciso saltar de um abismo;
É preciso levar um tapa na cara;
É preciso se apaixonar perdidamente...
É preciso tudo isso, pra saber que tudo sempre acaba valendo a pena.
Ou ao menos deveria ser assim.
Satine

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Drink me...


Às vezes me pego com grandes ressacas morais, cheia dessa loucura que corre pelas veias, que me deixa frenética, imprevisível.
No instante seguinte, já estou mergulhando no tédio que chega a doer nos ossos.
Sinto essa falta de sei-la-o-quê, e mergulho na inércia que é capaz de me levar com ela por horas a fio.
Engraçado como o frenesi não dura quase nada, enquanto a depressão parece ser eterna.
As cortinas se levantam e mais uma vez saímos por aí, para interpretar os papéis que escolhemos para aquela noite.
Esperamos que as luzes se acendam e venham os aplausos, mas tudo que ouvimos é o silêncio de tudo que está ao nosso redor.
Frio, frio na espinha, na pele, nos ossos, no sangue.
Assim nos contentamos em aplaudir a nós mesmos.
Fingimos ser importantes, inteligentes, lindos, desejados...
Somos decadentes, isso sim!
O nosso trash se transforma em glam aos olhos dos outros.
A nossa falta de comprometimento atrai, e nossas piadas já manjadas e nosso sarcasmo peculiar faz com que se apaixonem.
Pobre coitado de quem acredita na nossa farsa de pequenos burgueses, revoltados com ou sem causa.
Mas no final das contas, as causas não importam quando o copo chega até nossa mesa; quando acendemos um cigarro, tudo o que era relevante se torna piada...
Nós vamos ser sempre assim?
Satine

terça-feira, 9 de junho de 2009




Nem sempre as coisas são como a gente espera que elas sejam.
Decisões são sempre difíceis.
Em que momento a vida se tornou tão complicada, tão difícil e exigente assim?
E ela não vai esperar que as decisões sejam tomadas.
Ela vai continuar, querendo ou não.
Ás vezes, parece que não existe um final alternativo pra história.
Por mais que eu tente, não consigo ver esse outro caminho.
Fico me perguntando em que esquina eu perdi certas partes de mim...
O caminho mais fácil nem sempre é melhor que o da dor?
Será que é isso mesmo?
Não sei quando foi que me perdi, mas sei que é difícil achar o caminho de volta. Se é que ele existe.
Nem sempre as coisas são como a gente espera que elas sejam.
Não é possível voltar atrás. Tudo que passa é passado, mas continua aqui, se repetindo continuamente na minha cabeça.
Nem sempre é possível se livrar de certos fantasmas.
Eles insistem em se fazer presente. Estão sempre do outro lado da cama.
Nem sempre as coisas são como a gente espera que elas sejam.
Por mais voltas que a vida possa dar, continuo aqui.
Continuo sendo displicente. Continuo sendo egoísta e decadente.
Nem sempre as pessoas são como a gente espera que elas sejam.
Mas nós também não somos como elas esperam, tenho certeza.
Talvez o grande problema seja essa coisinha incomoda chamada expectativa, que só serve para nos frustrar inevitavelmente.
Nem sempre ajo como deveria agir.
Nem sempre sou quem deveria ser.
Nem sempre digo o que deveria dizer.
Nem sempre faz sentido.
Nem sempre as coisas são como a gente espera que elas sejam.






Satine




Cigarettes & Alcohol


Is it my imagination or have I finally found something worth living for?
I was looking for some action
But all I found was cigarettes and alcohol...
You could wait for a lifetime to spend your days in the sunshine.
You might as well do the white line
Cos when it comes on top,
You gotta make it happen!!!
Is it worth the aggravation
To find yourself a job when there's nothing worth working for?
It's a crazy situation.
But all I need are cigarettes and alcohol.
You could wait for a lifetime to spend your days in the sunshine.
You might as well do the white line
Cos when it comes on top,
You gotta make it happen!!!
You gotta make it happen!!!






It's the song of my life. I fuckin' love it!!!










Satine






sábado, 6 de junho de 2009

Contrato Assinado.


Hoje é o dia.
Dia em que finalmente tudo vai se encaixar.
Todas as respostas serão dadas.
Eu já posso vê-las dentro dos seus olhos.
Posso ouvir as palavras que você vai dizer.
E posso sentir o alívio de ter encontrado, enfim, o que tanto procurei.
Não sei se vai me salvar, ou me arruinar de vez.
Só sei que quero tentar, arriscar de novo.
É sempre assim; e é sempre diferente.
Tudo se mistura: olhos, mãos, braços, sangue, ossos, pele, o fôlego que se
perde.
Você já sabe como é.
E você sabe que posso ser tudo, e posso ser nada.
Mas, o que importa é que isso já está escrito, está marcado, vai acontecer.
E não há nada que eu, ou você, possamos fazer.
Satine

sexta-feira, 5 de junho de 2009

little secret...


Não perca seu tempo tentando entender.
Não sou do tipo fácil de decifrar.
Não perca seu sono pensando por quê.
O que eu disse hoje, amanhã vai mudar.
Sofro dessa constante metamorfose
Isso é algo muito particular.
Sou apegada as coisas erradas, é algo me que me satisfaz.
Ver o quanto posso te chocar,
O quanto da sua paz posso tirar.
É disso que eu gosto.
Nós dois vivemos bem assim, pra quê mudar?
Sempre fui alguém que se sente bem vivendo à margem.
E você também.
Nós dois sabemos que isso não deveria estar acontecendo.
Nem eu, nem você, estávamos "disponíveis".
Mas fazer o quê?
Fazer o que, se nós gostamos desse risco, dessa história maluca, aventura passageira.
O risco é sempre excitante, e o gosto da aventura...
Ah, é viciante.
E você, é como se fosse uma droga feita especialmente pra mim.
Acho que não vou conseguir me livrar tão fácil.
Na verdade, acho que nem quero.
Você é meu caminho sem volta.
Eu já disse, eu gosto disso. Gosto de você. Gosto de nós dois, porque nós somos feitos da mesma substância, somos da mesma laia... rs
Tudo o que corre nas suas veias, também corre nas minhas.
Por isso somos assim, a perfeita combinação de tudo que é pior.
Satine

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Você.


Se não consegue ver, quer dizer que não existe?
Se não consegue tocar, quer dizer que não estava ali?
É sempre necessário que haja cor e forma?
Eu posso não ver, mas sei que existe.
Posso não sentir, mas sei que estava aqui.
Nem tudo precisa ser nomeado, rotulado, para funcionar ou mesmo existir.
Hoje sei, que mesmo que não te veja por muito tempo, você existe.
Sei que mesmo que você me esqueça, eu ainda vou me lembrar.
Lembrar do que imaginei, do que torci, e continuo torcendo, para ser real.
Parece que tudo que escrevo é sobre você...
Que ironia!
Logo eu, que sempre escrevi apenas sobre mim.
Não sei como isso pôde acontecer, já que nem ao menos te conheço...
Pelo menos não de verdade. Apenas superficialmente.
Pode ser que, se te conhecer de verdade, acabe me decepcionando. Mas duvido.
Enfim, não digo te amo, mas digo que preciso, quase que desesperadamente, te conhecer, conviver com você, saber de coisas que mais ninguém sabe.
Acho que quase sofregamente espero...
Espero que me olhe.
Espero que me note.
Espero que queira...
Mas, você não é do tipo "confiável".
Me bate, e depois diz que me ama.
Talvez seja por isso que não consiga me livrar da lembrança.
Talvez por isso, o seu nome não me saia da cabeça.
Talvez por isso, eu acorde todos os dias chamando por você
.
Satine

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Sweet dreams


Sweet dreams are made of this.
Sweet dreams are made of you.
You, that even know, how important you are to me...
I know, this is madness, but what I gonna do?!
Somebody can say what I do to forget?
Even if, this seems impossible...
Satine

terça-feira, 26 de maio de 2009

I gave you blood...

Olhou para o sangue em suas mãos, e ria histericamente.
Viu os pedaços espalhados por todos os lados.
Ria histericamente.
Já não sabia mais quem era.
Ria histericamente.
A noite estava escura, mas ao longe uma luz brilhava.
Ria histericamente.
Tudo a sua volta se mexia.
Ria histericamente.
Repetia nomes de pessoas que não conhecia.
Ria histericamente.
Ria histericamente.
Ria histericamente
.









Satine

sábado, 23 de maio de 2009

No escuro



Quando está escuro é que se vê a verdade.
Quando não há luzes, luminosos, caras, bocas e poses, é que sabemos quem é quem.
No escuro ninguém é diferente de ninguém.
Quando está escuro, posso ser eu mesma.
Sem medo, sem desconfianças, sem máscaras...
Não é bom assim? rs



Satine

Another weird dawn


Last night?
Weird, unexpected, fun, funny, and a fuckin' crazy night on Hell.
What I gonna do?
I told ya, I was trouble...




You know that I'm not good. rs





Satine

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Get the party started


Hmm!!!
Friday night?
Let's get the party started...
In Hell. rs
I'm coming up so you better get this party started!!! rs
Satine

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Estranha




Viajando, sabe-se lá por quê...
Tem dias que fico assim, numa vibe estranha.
Estou carente, quero amigos, quero atenção, quero sair, sentir frio, quero colo, e quero agora!





Ouvindo Planta & Raiz com uma camiseta do Ramones...
Viagem e um pecado, mas hoje não tô nem aí.



Um dia eu sonhei com o rei, fui privilegiada pelo Marley...






Satine


Another untitled?





Depois de um tempo você percebe, que tudo o que vem, mas não agrega, não soma, não serve...






But, who cares?
I always be true to who I really am




Satine

terça-feira, 19 de maio de 2009

Um gole de inspiração...


Olhe bem dentro dos olhos e verá o infinito.
Verá todos os segredos, e possivelmente, verá algo que não deveria ver.
Mas tenha cuidado, você pode se perder.
Eu não sei bem o que é: magia, bruxaria...
Nada disso, ou tudo isso
Se perca, se encontre, se deixe levar.
É um caminho escuro, tortuoso, viciante e divertido.
Será que você vem comigo?






Um gole de inspiração num dia tranquilo.
Sou inconstante...






Satine

Unwell


Durante o dia todo olhando para o teto.
Fazendo amizade com as sombras na parede.
Durante a noite toda ouvindo vozes me dizendo que eu deveria dormir um pouco.
Pois amanhã pode ser bom para alguma coisa...
(Matchbox Twenty)






Música velha...
Sem inspiração nenhuma hoje.





Satine

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Considerações sobre nada




O tempo não para, mas eu continuo aqui esperando...
Pelo quê?
Não faço idéia.
Tenho essa estranha mania de olhar para o nada, mas me ocorreu hoje que talvez o que eu olhe não seja o nada, mas sim o futuro.
Que ainda está tentando se moldar frente aos meus olhos...
O último mês foi o que me motivou a pensar sobre isso.
Você já percebeu que a mudança de uma pequena coisa na rotina pode trazer um infinito de possibilidades novas?
Novos lugares, novas pessoas, sensações diferentes.
Mude uma coisa e tudo muda, não era isso?
Pode ser; ou talvez eu esteja assistindo filmes demais, e pensando demais sobre eles...
Besteira.
Essa sou eu, fazer o quê?
Sabe outra coisa que tem chamado minha atenção nos últimos tempos?
Sensações.
Não falo de nenhuma específica, mas de todas elas, boas e ruins.
Ultimamente elas tem sido o grande foco do meu dia...
Maluquice.






Satine

Tédio, tédio, tédio...
Urgh
E agora, quem irá me defender de mim mesma?
Saco cheio...
Satine

sábado, 16 de maio de 2009

Repetição.


Onde acaba a dor é onde começa o prazer.
Onde acaba o amor é onde começa o ódio.
Ou será o contrário?



I'm not crazy, I'm just a little unwell.





Satine

sexta-feira, 15 de maio de 2009

[in]variável


Vamos pra farra.
Vamos nos divertir, ouvir música antiga.
Vamos beber até cair.
Estes somos nós: bêbados, loucos, antiquados, e felizes sempre que possível.
Ainda que na manhã seguinte possamos nos sentir como lixo.
Vamos enquanto é tempo.
Não se sabe quando tempo vai durar.
Acende um cigarro, anda pela rua de madrugada, canta, dança, briga, cansa.
Fica tonto, diz que não vai fazer de novo, e no dia seguinte, está lá na porta do bar, firme e forte.
Esse desejo que nos move parece forte demais.
O caos que trás todo tipo de possibilidade maluca.
Aventureiros noturnos, que se escondem a luz do dia, atrás de óculos escuros e roupas pretas.
Nós somos assim, fazer o quê?
Eu amo isso. Amo a minha fase quieta, de saco cheio, dentro de casa. E amo a minha fase louca, falante, extravagante, na rua.
Eu mudo assim como a lua.
Hoje sou puro ódio; amanhã doce amor.
Satine

Sober


... and then I wonder to myself:
How do I feel this good sober?




PS: Dammit!!! I think that sometimes I'm bad girl, and I love it!!! rs
Satine


Queda



O que se faz quando nada mais faz sentindo?
Quando, tudo o que você julgava concreto em sua vida desmorona?
Onde estão as respostas?
Qual o procedimento padrão para esses momentos?
Onde está o manual de instruções?
Ninguém me avisou que a vida poderia ser assim, tão difícil!!!
Procuro, mas não encontro a saída de emergência.
Estou presa aqui, e ninguém parece me ver, ninguém parece me ouvir.
Apago a luz, cubro a cabeça, e espero...
Não ouço nada.




Satine

quinta-feira, 14 de maio de 2009

...


Sinto tanta falta, mas não sei do quê.
Esse vazio que,aparentemente,nada pode preencher.
Essa dor de cabeça, ressaca moral.
Hoje é um dia estranho.
Nem pergunte por que.
Eu não saberia responder.
Nem tudo precisa ser respondido.
Em certos casos a resposta sequer existe.
Algumas perguntas são apenas perguntas.
Alguns dias são mesmo cinzentos, nada se pode fazer.
Não adianta ouvir uma música, ler um livro, ou fumar um cigarro...
Isso só vai distrair a atenção por alguns instantes.
Esse peso do qual não consigo me livrar, está comigo todos os dias.
Mas, às vezes, simplesmente me esqueço.
Às vezes é fácil, se a semana foi boa, ele simplesmente desaparece.
Mas basta um dia ruim, para que ele volte e se faça presente o tempo inteiro.
Me sufoca, me enlouquece a ponto de me fazer sentar em frente ao computador e despejar tudo isso aqui.
Espero que passe logo.
Espero que esse vazio se canse de mim e vá embora.
Se possível, fique um bom tempo fora...






Satine

quarta-feira, 13 de maio de 2009


À todas as coisas maravilhosas que se iniciam hoje!!!

Satine

Hapiness, more or less.



Felicidade...

Felicidade é estar onde se quer estar.

É ser quem você é de verdade.

Felicidade é viver plenamente aquilo que se quer.

É uma tarde despretensiosa.

Felicidade é poder ter um tempo só seu.

Se amar antes de tudo.

Felicidade pode ser uma explosão, euforia.

Mas também pode ser calma, tranquila.

Felicidade só de saber que os problemas não duram pra sempre.

Felicidade é saber que as coisas sempre mudam, e não ter medo disso.

Felicidade é poder estar sozinho às vezes, e gostar.

Felicidade é saber que você pode ficar triste, e chorar de vez em quando.

E saber que se você não é feliz 24 horas por dia, tudo bem, isso quer dizer que você é humano.

Felicidade é saber que você ainda pode não ter tudo aquilo que quer, mas que é possível sim, conseguir.

Enfim, felicidade é falar besteiras ao telefone, comer bobagens, assistir TV...

Mas essa é a minha felicidade.

A sua pode ser diferente, tudo bem.

Apenas seja feliz do seu jeito.

E o mais importante, não permita que te digam como ser feliz, nem muito menos, deixe a sua felicidade depender de outra pessoa, além de você mesmo.

Satine










segunda-feira, 11 de maio de 2009

Other side the world



Hoje sinto como se estivesse do outro lado do mundo.
Sozinha por opção, com uma ligeira melancolia criativa.
Estou com vontade de desenhar tudo aquilo que me vai na alma.
Não, não são questionamentos, nem grandes dúvidas existenciais.
É mais como, tomar consciência de quem eu sou e porque sou assim.
Confusa?
Talvez.
Louca?
Sempre fui assim.
Perdida?
Em mim mesma.
Cansada?
Da mesmice.
Mudança?
Ainda não.
Sinto como se estivesse pronta para abrir os olhos, mas acabasse me sabotando.
Acho que já disse que minha cegueira em relação à certas coisas e certas pessoas, é voluntária.
E não sei se realmente quero mudar essa condição. Ela é confortável, sabe?
Acho que em certos momentos não precisamos de ninguém, só de nós mesmos.







Satine



sábado, 9 de maio de 2009

Nameless



Ela entra em seu quarto, vai até o banheiro e se olha no espelho pensando:
- Hoje estou bem melhor que ontem, mais sóbria, mas também mais sombria...
Sorri, um sorriso pálido e vê quanto as olheiras estão ainda mais escuras que o normal, o quão sua pele branca está ainda mais pálida.
- Pelo menos me diverti um pouco.
Como pode ter se divertido, se hoje tudo que há de mais obscuro em si está mais e mais evidente?
- Acho que gosto de ser assim. Gosto muito mais do meu lado ruim. Talvez meu lado ruim, na verdade, seja o que eu tenho de bom. É a parte mais sincera de mim. Quando sou politicamente incorreta e desbocada sou eu mesma...
Ela diz isso e sorri novamente.
- Gosto disso, e gosto de falar sozinha. Sou egocêntrica, não quero ouvir ninguém, só a mim mesma. Também não preciso que ninguém me ouça. A não ser é claro quando quero me vangloriar de alguma coisa...
Ela sai do banheiro, liga o som no máximo, acende um cigarro e deita na cama...
Esse é um momento só seu, nada nem ninguém importa dentro desse seu mundinho pequeno, com seus sentimentos incoerentes e sua arrogância peculiar.








Satine


quarta-feira, 6 de maio de 2009

Someday


Someday you will find me.
Someday I want to tell you all the things that I could not.
Someday I hope to see how you grew.
Someday you can look me in the eye again, if you want.
Someday we will sit and talk about all the bullshit we said to each other .
Someday we will forgive us.
Someday I want to find you again.
Someday, because today, I'm not ready yet.
But someday I will be ready, and hope to find you, in some way at some point.
Someday...
In the champagne supernova in the sky?



Satine

terça-feira, 5 de maio de 2009



À tarde do deleite extravagante!




Cheers.
Satine

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Não tente me salvar.
Pare de fingir que se importa.
E pare de me olhar com essa paciência irritante estampada na cara.
Chega dessa virtude tediosa.
Vamos ser reais apenas por um instante. O que você acha?
Não quero ver essa sua bondade hipócrita.
Quero enxergar o que existe de pior em você.
Só assim vou saber que você é de verdade.
Se é que existe algo de real aí.
Eu acredito que as pessoas se preocupam demais com o tipo de imagem que passam para os outros.
Isso não faz a menor diferença.
Sejamos nós mesmos.
O que importa o que alguém vai pensar?
Seja você, não prejudique ninguém, e viva sua vida de acordo com suas próprias regras.
Hoje pode estar chovendo, mas amanhã pode ser um dia de deleite.
As coisas nem sempre são como se quer que elas sejam.
Todos mentem o tempo todo.
Tudo o que nos resta, é nos mantermos leais apenas a nós mesmos.
Satine